CONFRARIA DO MEXIDÃO

CONFRARIA DO MEXIDÃO I

O Radar compareceu a mais uma reunião mensal da Confraria do Mexidão, realizada na última quinta-feira de maio no Marrom Glacê, contando mais uma vez com a música ao vivo com Samuel ao teclado e um número maior de participantes em relação à reunião do mês anterior. Organizada por um grupo de amigos, a confraria tem por objetivo promover encontros mensais para conversar e saborear a boa culinária mineira, ao som de boa música e, desde o mês de abril, no conforto do salão do Marrom Glacê.

 

CONFRARIA DO MEXIDÃO II

Um dos criadores da Confraria do Mexidão, o empresário Carnot diz em sua entrevista ao Radar que o grupo foi criado para ouvir boa música, ter um bom papo e saborear uma boa comida, oportunidades que faltavam em Sete Lagoas. Diz que a confraria está aberta a novos confrades que compartilhem com este propósito, mas alerta que os criadores pensam em estabelecer um limite de participantes, com o objetivo de manter o clima de aconchego das reuniões.

CONFRARIA DO MEXIDÃO III

Também um dos fundadores, Nivaldo Franco Corrêa reforça que o mexidão é um apelo para que as pessoas possam se rever, conviver e bater papo, em um local muito agradável e saboreando um cardápio cem por cento mineiro. Convidado a dar um palpite sobre possível ganhador da Copa do Mundo, Nivaldo cita Alemanha e Argentina como fortes concorrentes, mas diz que acredita que o Brasil será campeão.

 

CONFRARIA DO MEXIDÃO IV

Maria Goreth de Souza Farneti diz que aderiu ao mexidão no primeiro momento, quando recebeu de Roberto Andrade um pedido para compor uma trova sobre a confraria. Frequentadora de todos os encontros com o marido Atos, diz que o evento é mexidão na extensão da palavra, pois mexe com a cabeça e o corpo. Outra sócia de primeira hora, a empresária Heloisa Rocha ressalta o prazer de se reunir com amigos, ao som de boa música e saboreando a típica culinária mineira.

 

CONFRARIA DO MEXIDÃO V

O Sindicato dos Empregados do Comércio é um dos apoiadores do mexidão e seu presidente Ronaldo Rodrigues da Silva diz ao Radar que é uma satisfação participar de eventos como este. Segundo ele, isto reforça o papel do sindicato que, além de lutar por direitos e melhorias dos associados, precisa também de um envolvimento social. O contabilista João Batista da Silva compareceu pela segunda vez, classifica o encontro como maravilhoso e garante que se tornará assíduo.

 

CONFRARIA DO MEXIDÃO VI

Roberto Andrade, diretor do Tribuna e um dos organizadores da confraria, mais uma vez agradece a presença e o prestígio do Radar, confessando-se surpreso com o expressivo número de participantes desta edição. Aproveita o espaço para agradecer aos apoiadores culturais: Nilton Santos Ferreira, vereador Renato Gomes, Beto Andrade, Flores da Serra, Faculdade Avance, Marrom Glacê e os sindicatos, dos empregados do comércio, dos trabalhadores em calcinação, dos metalúrgicos e dos servidores municipais.

 

...